Tuesday, March 11, 2008

Manifesto do Dia


Manifesto do Eu (o Humano)

Eu sou um ente. Ente é tudo aquilo que eu considero como existente. Eu vivo num meio isolado e sou simultaneamente um isolante. Eu sou um dialéctico, violentamente submetido à acção perigosa de um campo eléctrico não conservativo, nem solenoidal. As minhas moléculas estão firmemente moldadas e polarizadas por esse campo. Mas o sistema não está em equilíbrio. Há um factor de instabilidade e de inadaptação que me faz evoluir numa busca desesperada e preserverante, quantitativa e qualitativa. Talvez porque o campo não é puramente electrostático.

Mas o princípio da relatividade diz-me que há uma harmonia dinâmica e relativa, determinada por um sistema complexo de ‘n ‘ equações a ‘n ‘ incógnitas, reais e imaginárias.

Eu não obedeço ao princípio da conservação da energia. Nem ao da massa. Nem ao binómio resultante. Porque eu crio. Eu sou, e posso dizê-lo, e mais nenhum ente o pode fazer. Eu mobilizo energia quando crio. Mas o meu ‘ß’ de amplificação é muito grande. E sou um óptimo transdutor, também. Posso ser mais do que aquilo que sou e o facto de me superar prova que desobedeço às leis da Natureza. A minha rebeldia é a prova da minha independência , a minha petulância, a prova da minha força.

– C@nd.

Post a Comment