Sunday, July 5, 2009

Pensamento de Marketing da Semana


Os Seis Sentidos

Na Era Conceptual, teremos de aprender a complementar o raciocínio do nosso hemisfério esquerdo com seis aptidões essenciais, próprias do hemisfério direito. Em conjunto, estes atributos High Touch e High Concept podem ajudar a desenvolver a nova inteligência que os tempos emergentes requerem.

1. Já não basta a funcionalidade, é preciso o DESIGN.

Já não basta criar um produto, um serviço, uma experiência ou um estilo de vida meramente funcionais. Hoje, é economicamente vital e pessoalmente gratificante criar algo que seja também bonito, original ou emocionalmente apelativo.

2. Já não chegam os argumentos, é necessária uma HISTÓRIA.

Numa altura em que as nossas vidas se encontram saturadas de informação, já não basta esgrimir bons argumentos a favor de um produto. Inevitavelmente, alguém, em algum lugar, vai encontrar uma forma de os rebater. A essência da persuasão, da comunicação e do próprio conhecimento do ser humano, passa, hoje, pela capacidade de criar uma boa narrativa em torno do artigo que se vende.

3. Já não basta a concentração, é preciso SINFONIA.

Tanto a Era Industrial como a Era da Informação pediram, em grande parte, qualidades de especialização e concentração. No entanto, à medida que os empregos de colarinho branco são desviados para a Ásia e eliminados pelas novas tecnologias, é a atitude oposta que se vê valorizada: “Sinfonia”. Presentemente, o que é mais necessário não é a análise, mas a síntese: ser capaz de ter uma visão abrangente, cruzar fronteiras e combinar diferentes elementos para formar uma unidade nova e sedutora.

4. Já não basta a lógica, tem de haver EMPATIA.

A capacidade de raciocínio lógico é uma das coisas que distingue o Homem dos animais. Contudo, num mundo onde a informação é ubíqua, povoado por apuradas ferramentas analíticas, só a lógica já não chega. Daqui para a frente, o que distinguirá os indivíduos de sucesso será a sua capacidade de compreender os desejos dos outros homens e mulheres, de estabelecer relacionamentos e de mostrar interesse e preocupação pelos outros.

5. Já não chega a seriedade, é preciso DIVERSÃO.

Há amplas provas que demonstram os enormes benefícios, tanto no aspecto profissional como na saúde, do riso, dos jogos, do humor e da boa disposição. Naturalmente, há alturas em que é preciso ser sério. Porém, demasiada circunspecção pode ser prejudicial para a carreira e para o bem-estar em geral. Na Era Conceptual, no trabalho como na vida, é necessário descontrairmo-nos.

6. Já não chega possuir, é necessário um SENTIDO.

Vivemos num mundo de espantosa riqueza material. A opulência da nossa sociedade libertou milhões de pessoas da luta pela sobrevivência, tornando possível perseguir objectivos mais significativos: a transcendência, a realização espiritual e o sentido da vida.

Design. História. Sinfonia. Empatia. Diversão. Sentido.

Estas características irão cada vez mais orientar as nossas vidas e moldar o nosso mundo.


- Daniel H. Pink, em “A Nova Inteligência”



Post a Comment